SEDE: Rua Libero Badaró, 158 - 1°Andar - Centro / São Paulo - SP | CEP 01008-000 | Fone: 3107.2767 Fax: 3101.1685

25/07/2014

Contraf-CUT condena terrorismo do Santander contra economia e o Brasil

 
A Contraf-CUT condenou com veemência o terrorismo do Santander, que enviou neste mês de julho um texto aos seus clientes de alta renda onde afirma que o eventual sucesso eleitoral da presidente Dilma Rousseff irá piorar a economia do Brasil. A notícia foi divulgada nesta sexta-feira (25) pelo blog de Fernando Rodrigues no portal UOL.

A análise do banco espanhol foi impressa na última página do extrato dos clientes na categoria "Select", com renda mensal superior a R$ 10 mil. O Santander diz que se Dilma melhorar nas pesquisas de intenção de voto, os juros e o dólar vão subir e a Bolsa, cair. Nunca antes uma avaliação como essa foi feita de maneira institucional por um grande banco no País.

"Trata-se de terrorismo puro que o Santander faz não somente com os seus clientes de alta renda, mas com a economia e o povo brasileiro. Um banco estrangeiro, que veio ao Brasil e adquiriu bancos, sobretudo, na era das privatizações do governo FHC, revela um profundo desrespeito com o Brasil e os brasileiros, piorando ainda mais a sua imagem junto aos trabalhadores e à população", afirma Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional dos Bancários.

"Não permitiremos que atos terroristas de bancos, como o Santander, coloquem em risco a democracia no Brasil, que foi duramente conquistada após muita luta e sangue nos últimos 50 anos", salienta o dirigente sindical.

Para ele, "mais do que pedir desculpas aos seus clientes, o Santander tem que passar a respeitar os clientes, os bancários e o Brasil, bem como mudar a sua gestão equivocada no País, onde o banco obteve 20% do lucro mundial no primeiro trimestre deste ano, mas os trabalhadores e os clientes não são ouvidos nem valorizados".

Corte de empregos

Somente no Brasil o banco lucrou R$ 1,428 bilhão no primeiro trimestre de 2014, mas a contrapartida para os trabalhadores têm sido demissões, rotatividade e corte de empregos. O banco espanhol cortou 4.833 postos de trabalho entre março de 2013 e março deste ano no País, sendo 970 nos primeiros três meses do ano, o que é totalmente injustificável.

"O Santander também fechou dezenas de agências nos últimos meses em todo o país e liderou em oito dos 12 meses de 2013 e em cinco dos seis meses de 2014 o ranking de reclamações de clientes no Banco Central", lembra o dirigente da Contraf-CUT. "E agora, como se não bastasse, o banco vem com esse terrorismo inaceitável, mostrando que está de costas para os esforços da sociedade brasileira para aumentar o crescimento econômico e social com distribuição de renda".

Denúncia para a OCDE

Cordeiro anuncia que esse terrorismo do Santander viola as diretrizes para empresas multinacionais, estabelecidas pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), da qual a Espanha é signatária. "Vamos fazer uma denúncia para a OCDE, pois é inaceitável que o banco espanhol trate assim a economia e o povo brasileiro", enfatiza o dirigente sindical.

O Santander está sendo muito criticado por delegados e delegadas da 16ª Conferência Nacional dos Bancários, que foi aberta nesta sexta-feira, em Atibaia (SP). "A categoria está indignada e a resposta será o aumento da mobilização para que o banco espanhol respeite o Brasil e os brasileiros", conclui Cordeiro.


Fonte: Contraf-CUT
web80.com
Jornal Brasil Atual
AO VIVO


Vídeo